19.5.16

Ao deitar-me com a cabeça em seu colo, companheiro / As I lay with my head in your lap, camerado



Ao deitar-me com a cabeça em seu colo, companheiro,
A confissão que fiz eu reafirmo, o que disse a você e o ar livre eu reafirmo,
Sei que sou inquieto e torno inquietos os demais,
Sei que minhas palavras são armas, carregadas de perigo, carregadas de morte,
Porque confronto a paz, a segurança e todas as leis estabelecidas, a fim de restabelecê-las,
Sou mais decidido porque todos me negaram, mais do que em algum momento poderia ter sido se me tivessem acolhido,
Eu não presto, e jamais prestei, atenção à experiência, a precauções, a maiorias ou a parecer ridículo,
E a ameaça a que se chama inferno é pouco ou nada para mim,
E o engodo a que se chama céu é pouco ou nada para mim;
Bem-amado companheiro! Eu confesso, eu o tenho instigado a seguir comigo, e ainda o instigo, sem ter a menor ideia de qual será o nosso destino,
Se sairemos vitoriosos ou plenamente dominados e derrotados.



As I lay with my head in your lap, camerado,
The confession I made I resume, what I said to you and the open air I resume,
I know I am restless and make others so,
I know my words are weapons full of danger, full of death,
For I confront peace, security, and all the settled laws, to unsettle them,
I am more resolute because all have denied me than I could ever have been had all accepted me,
I heed not and have never heeded either experience, cautions,
majorities, nor ridicule,
And the threat of what is call'd hell is little or nothing to me,
And the lure of what is call'd heaven is little or nothing to me;
Dear camerado! I confess I have urged you onward with me, and still urge you, without the least idea what is our destination,
Or whether we shall be victorious, or utterly quell'd and defeated.


WHITMAN, Walt. The complete poems. Harmondsworth: Penguin, 1977, p. 346.

*tradução minha


Nenhum comentário: